Dicas ao aspirante a tradutor

Se você leu o artigo publicado por Paulo Vinicius Solera sobre Tradução e o tradutor no Brasil I e precisa de mais informações para tornar-se tradutor, este artigo também lhe será útil, pois foi escrito com o propósito de dar dicas que podem auxiliar o aspirante a tradutor a traduzir profissionalmente.

Minhas oito dicas são:

  • Faça a coisa certa. Dominar um par de idiomas é indispensável, mas não suficiente. Todas as línguas têm suas particularidades, expressões idiomáticas, por exemplo, e o bom tradutor não é aquele que as traduz ‘ao pé da letra’, mas que sabe interpretá-las e expressá-las corretamente no idioma de chegada;
  • Pesquise muito. Pesquise sobre o assunto que está traduzindo, para que você entenda o quê está escrevendo. Invista quanto tempo for necessário, pois isso lhe trará mais confiança e agilidade;
  • Nunca “chute”. Quando tiver de traduzir determinado termo ao qual haja várias possibilidades de tradução, faça uma ‘comparação cruzada’ da definição do termo no idioma de partida e no idioma de chegada, e compare-as até encontrar a possibilidade mais correta, devidamente contextualizada;
  • Atualize-se. Participe de fóruns sobre tradução, pois além de contar com a experiência e ajuda de outros profissionais, é uma eficiente maneira de acompanhar o que acontece no mercado;
  • Use, mas não abuse da Internet. Os mecanismos de buscas, como, por exemplo, o Google, são muito úteis, mas nunca confie somente na ‘olhada superficial’; sempre pesquise várias fontes antes de decidir que termo usar. Número de ocorrências não significa que determinado termo está correto. Quem leu o artigo Aviso aos passageiros sabe muito bem disso;
  • Aprenda a usar o computador. Hoje, é o principal recurso de trabalho. Não se limite apenas a digitar textos, conectar-se à Internet e enviar e-mails. Há uma infinidade de recursos úteis ao tradutor, como, por exemplo, corretor ortográfico e gramatical, recurso de tabelas, inserção de imagens, backup de traduções etc. Leia o artigo Tradução: a aparência importa;
  • Seja ético e profissional. Analise bem um texto antes de aceitar traduzí-lo. Calcule o tempo para pesquisa, tradução e revisão. Mesmo na hora do desespero, seja ético: nunca divida um trabalho que foi atribuído a você. Caso não seja possível cumprir um prazo, recuse o trabalho. Não cumprir prazos é cartão vermelho e prejudica sua imagem no mercado; e
  • Dedique-se! Traduzir não é um ‘bico’, mas uma profissão e, como qualquer outra, requer esforço, dedicação e aperfeiçoamento para ser bem-sucedido.

Há inúmeras outras coisas a serem feitas para ser um bom tradutor, mas seguir estas oito dicas é um bom começo.

 

%d blogueiros gostam disto: